A disciplina de Estudos Clássicos

Uma nova disciplina foi adicionada ao nossos estudos semanais: a chamamos de Estudos Clássicos. Dedicamos 4 horas e meia por semana para o estudo de uma Obra Literária Clássica, analisamos a estrutura da obra, a biografia do autor, sua formação e a época em que foi escrita obra.

Neste ano, estamos estudando a obra Os Lusíadas de Camões. Luís Vaz de Camões tinha amplos conhecimentos em literatura clássica, vasto conhecimento em História, Geografia, Estudos Metafísicos, principalmente no que se refere a Doutrina Cristã.

Camões era muito versado em literatura latina antiga e bom conhecedor de literatura grega, principalmente de Homero (928 a.C a 898 a.C) e Plutarco (46 a 120 d.C).

Os Lusíadas são uma epopeia moldada na obra Eneida de Virgílio. A obra possui 1102 estâncias (estrofes), 10 cantos e 8816 versos decassílabos. As estâncias (estrofes) são em oitavas ABABABCC: 8 versos decassílabos alternando os 6 primeiros versos e paralelos nos dois últimos.

O herói glorificado em Os Lusíadas é Vasco da Gama (1460 a 1524), um navegador e explorador português que na Era dos Descobrimentos, destacou-se por ter sido o comandante dos primeiros navios a navegar da Europa para a Índia através do Cabo da Boa Esperança.

Mapa da Viagem de Vasco da Gama e a sequência como é narrado nos versos de Camões

Mapa da Viagem de Vasco da Gama e a sequência como é narrado nos versos de Camões

 

A cada início de Canto, explico o processo narrativo: proposição, invocação, dedicatória e narração. A cada grupo de estâncias lidas estudamos o vocabulário, geografia e os personagens históricos e mitológicos citados nos versos. Então, é feito um resumo do que foi estudado na leitura, cópia de alguns versos e ilustrações em um caderno de estudos individual.

Atualmente estamos na leitura do Canto Terceiro. Logo no início deste Canto, o autor invoca Calíope a musa da eloquência e da poesia épica.

Detalhe de pintura "The Muses Urania e Calliope" por Simon Vouet, em que Calíope segura uma cópia da Odisseia.

Detalhe de pintura “The Muses Urania e Calliope” por Simon Vouet, em que Calíope segura uma cópia da Odisseia.

 

Em seguida, o autor cita através da fala de Vasco da Gama detalhes geográficos de Portugal e da Europa, principalmente no que se refere ao período de formação do Reino de Portugal, além de inúmeros feitos heroicos de personagens importantes na história de Portugal. Muitos dos quais já havíamos estudados no ano passado quando aprendemos sobre a cavalaria na Idade Média.

António da Silveira (1490 a 1531) Comendador de Arguim (Ordem de Cristo).

António da Silveira (1490 a 1531) Comendador de Arguim (Ordem de Cristo).

 

Duarte Pacheco Pereira (1460 a 1533), navegador militar e cosmógrafo português.

Duarte Pacheco Pereira (1460 a 1533), navegador militar e cosmógrafo português.

Tristão da Cunha (1460 a 1540) cavaleiro d'El-Rei D. Manuel I, navegador português. Em 1504 foi nomeado vice-rei e governador das Índias.

Tristão da Cunha (1460 a 1540) cavaleiro d’El-Rei D. Manuel I, navegador português. Em 1504 foi nomeado vice-rei e governador das Índias.

Fernão de Magalhães (1480 a 1521)

Fernão de Magalhães (1480 a 1521)

 

Afonso de Alburquerque (1453 a 1515).

Afonso de Albuquerque (1453 a 1515).

Egas Moniz apresentando-se ao rei de Leão com a sua família - Painel de Azulejo na Estação de São Bento (Porto) - O cavaleiro da palavra dada.

Egas Moniz apresentando-se ao rei de Leão com a sua família – Painel de Azulejo na Estação de São Bento (Porto) – O cavaleiro da palavra dada.

 

Os principais acontecimentos históricos são periodicamente adicionados ao nosso projeto de Linha do Tempo. Paralelo a leitura, também apreciamos arte e música portuguesa do período de 1450 a 1600. Nosso objetivo é concluir a leitura da obra até o final deste ano letivo.

,