Progymnasmata – um modo de aprender a escrever pela imitação

A palavra progymnasmata é grega e significa “exercícios preliminares.” Estes exercícios foram elaborados na antiga Grécia e Roma para educar as crianças na arte da escrita e da retórica.

São no total catorze etapas de desenvolvimento da escrita, este ano estudaremos as duas primeiras: Fábula e Narrativa.

Para facilitar nossa introdução ao Progym, sintetizamos os modelos de exercícios em seis estilos:

  1. Fazer um esboço: Lista numerada das ideias ou fatos principais, incluindo subtópicos quando necessário.
  2. Resumo: cortar todas as palavras que não são essenciais para o entendimento do texto original. Escrever o resumo de forma objetiva.
  3. Acrescentar informações ao texto como descrições da paisagem, ampliar a descrição dos personagens e ou acrescentar diálogos.
  4. Escrever a partir da perspectiva de um dos personagens da história.
  5. Inverter a sequência: começar do final para o início.
  6. Escrever com diferentes personagens e cenários.

“Fábula de Esopo: A ÁGUIA, A GRALHA E O PASTOR

Uma águia precipitou-se do alto de um rochedo e arrebatou um cordeiro. Uma gralha, estimulada pelo que vira, quis imitá-la. Então desceu ela própria e se atirou ruidosamente sobre um cordeiro. Como, porém, suas garras se emaranhassem nos tufos de lã, ficou batendo as asas sem poder soltar-se, até que o pastor, percebendo o que acontecia, correu, pegou-a, aparou-lhe as asas e, quando chegou o fim do dia, levou-a para seus filhos. Como estes lhe perguntassem que pássaro era aquele, disse o pastor: “Pelo que sei, sem dúvida é uma gralha, mas quer ser uma águia”.

É assim qualquer luta contra os mais fortes: não se chega a nada e o que se consegue é que riam de nossa infelicidade.”

O primeiro exercício feito por nosso filho mais velho, e que nos custou uma boa discussão, foi o exercício de esboçar as principais ideias do texto. Assim fez seu primeiro esboço:

1 – Uma águia caçou um cordeiro
2 – A gralha quis imitá-la
3 – A gralha fez muito barulho
4 – Suas garras ficaram presa no cordeiro
5 – O pastor pegou a gralha e lhe cortou as asas
6 – O pastor deu a gralha de presente para os filhos
7 – O pastor disse aos filhos que era uma gralha que queria ser águia

Para um primeiro resumo, considero que ele conseguiu captar as ideias principais do texto. Talvez ficasse melhor elaborado este esboço, caso ele tivesse listado o último item como um subitem do item 6, neste caso “6.1”.

O segundo exercício proposto foi, a partir do texto original, riscar todas as palavras não essenciais para o entendimento do texto e em seguida reescrever a história:

“Uma águia arrebatou um cordeiro. Uma gralha quis imitá-la atirando-se ruidosamente sobre o cordeiro. Suas garras emaranharam-se nos tufos de lã e ficou batendo as asas sem poder se soltar. O pastor pegou-a, aparou-lhe as asas e levou-a para seus filhos. Que pássaro era aquele perguntaram os filhos. Disse o pastor: é uma gralha que quer ser águia.”

O terceiro exercício foi criar uma variação (3, 4, 5 ou 6) a partir do estudo (esboço e resumo) feito. Ele escolheu usar as variações 3 e 4.

“Avistei uma águia que se atirou sobre um cordeiro. Me impressionei e quis imitá-la pegando um cordeiro. Só tive um pequeno problema: as minhas garras ficaram presas no cordeiro. Então o maldito pastor me viu, salvou o cordeiro, cortou minhas asas e me deu a seus filhos.

Quero vingar-me mas não posso sem minhas asas. Ah! Como eu queria ser uma águia!”

Nós seguiremos neste formato para os estudos de Progym tanto para Fábulas quanto para Narrativas. Acrescentaremos também um estudo do vocabulário e outras regrinhas gramaticais que possam nos ajudar a melhorar a redação.

, ,